/ balada

12set

Update do projeto #32coisas

32coisasantesdos32

Diferentemente do projeto anterior, eu não vou fazer posts únicos para cada coisa realizada na lista, pq né? Mas vou dar umas parciais, hoje é dia 12, faltam exatamente 12 dias para o fim do projeto, eu deveria estar louca, por que ainda falta muita coisa, mas se tem uma coisa que aprendi com esses 32 anos é ter calma.

Eu gosto de me desafiar, de colocar essas listas pra me tirar do limbo que eu mesmo crio, daquele conforto delicioso da rotina, ah eu descobri que eu adoro a rotina. Eu não gosto de mudar de caminho pra vir trabalhar, o waze diz que o caminho de sempre tá parado, mas eu olho e são 5 minutos de diferença, eu prossigo na mesma rota. Ah, eu adoro a rotina.

Mas vamos ao que interessa? Um update do que eu já consegui realizar nesse meio tempo:

01 – Terminar de ler #GirlBoss – olha, ainda tinha 50 páginas e eu honestamente li só por conta do projeto, por que o livro é muito fraco, cheio de lições de empreendedorismo que eu não queria ler. A história de como ela construiu a loja e tudo mais é bem interessante, mas só.

03 – Conhecer um restaurante novo – essa é a parte mais fácil do projeto né? Eu fui no restaurante O cupim com a Patty, o namorado dela e o Jader. O lugar é daqueles meio bar, meio restaurante, cheio de gente e que serve um cupim na telha que é de lamber os beiços, eu só demorei pra entender que tinha que comer o cupim com a mandioca juntos, porra, que delicia.

07 – Fazer uma hidratação power no cabelo – Sim, eu fiz, tava precisando viu? Eu fui no Jacques & Janine e fiz um procedimento chamado tratamento de luxo da marca Schwarzkopf, risos. Fez bem pro cabelo.

11- Mudar o corte de cabelo – No mesmo dia da hidratação fiz o corte. A Fernanda me deu um mega apoio e ficou pilhando pra eu cortar mais. Pela primeira vez fiz um corte radical, poderia até chamar de big chop hehehe. Acho que primeira vez na vida que cortei o cabelo tão curto. Ainda tô me acostumando com isso, mas tenho que confessar, eu curti pra KRLHO.

 

Uma boa mudança pra abrir a porteira de novidades que vem por ai! #32coisas

 

Uma foto publicada por Taína Sena (@tainasena) em

08 – Comprar a mesa pra casa – Depois de uma longa novela, finalmente eu comprei a minha mesa. Uma amiga indicou uma loja na Teodoro Sampaio e eu fui ver, adorei, ainda não recebi, mas em breve termos fotos!

12 – Me dar um presente MARA – Sim, foi ontem, eu estava de olho em duas coisas na Polishop – nunca pensei que iria gostar de coisas dessa loja. Comprei a panela que não gruda nada, aquela Flavorstone, eu já estava namorando ela bem uns 6 meses. Comprei também um troço de fazer cachos no cabelo pra variar o corte novo.

14 – Fazer mais uma road trip – Dirigir tornou-se uma coisa natural, mas ainda tenho muita cautela. Decidi da noite pro dia ir pra praia, consegui 2 dias de folga, reservei o hotel e parti! Fui pro Guarujá, minha primeira vez dirigindo prá lá. A ida foi meio longa, pois tinha trânsito, a volta tranquila, menos de 2 horas eu estava em casa.

17 – Ir numa balada latina – Eta que esse item foi uma delícia! No facebook a Jeh me disse que topava e coisa de 2 horas combinamos tudo (ela foi responsável por outro item aqui tbém). Fui no Rey Castro, o lugar é gostosinho, tem um monte de gente diferente, não é aquela coisa lotada louca e o ambiente é legal, tem uns casais mais assanhados, mas até ai normal.

18 – Assistir Stranger Things inteira – esse item foi fácil né? Matei em 2 dias, porra que série boa, intrigante e me deixou deveras ansiosa para os próximos episódios.

23 – Conhecer algúem do mundo virtual – A Jéssica é minha amiga virtual faz tempo, tem sei lá uns 3, 4 anos que a gente se segue no twitter e troca mega ideia. Vários crushs errados. Foi ela quem topou ir na balada latina. Adorei conhecê-la e foi aquela coisa, igualzinho no twitter, somos todas loucas. Plus que eu conheci o Danilo do twitter e a Juliana do MBA.

reycastro
28 – Começar aulas de francês – Baixei o duolingo de novo e comecei as aulas, por enquanto tá fácil, mas logo a língua começa a enrolar. Oui, Je suis uma femme.

Por enquanto é isso pessoal, obrigada por acompanhar!

18nov

Fiquei sem dinheiro e sem documento na primeira viagem internacional

Postado por às em Amizade, Viagem
buenos aires

foto arquivo pessoal

As histórias de viagens são sempre muito legais, cada perrengue, cada imprevisto que acontece que na hora te deixa a flor da pele, mas depois que passa, fica uma lembrança engraçada e boa de contar nas rodas de amigos. Eu resolvi desenterrar uma dessas histórias, que eu acredito que merece ser contada.

Era 2012 e eu estava me preparando para minha primeira viagem internacional, o destino? Buenos Aires, nosso quintal europeu, risos. Três amigos juntos, vocês podem imaginar o tanto que aprontamos né? Primeira viagem, primeiro país, descobrimos o tal do Pub Craw, relevem que eu era mais nova nessa época… pra quem não sabe o que é: basicamente um grupo de jovens que junta outros jovens por um preço camarada faz um esquenta, depois levam você para 3 bares e finalizam a noite em uma badalada boate local.

Nós já ficamos super animados no esquenta e como era bebida liberada até o horário de partir para o primeiro bar, já saímos calibrados. Chegamos no primeiro local, maior animação, quando falávamos que éramos do Brasil a galera pirava, esse tipo de balada só tem gringo, eles sempre ficam animados quando se fala em Brasil, olha a fama. E a noite foi seguindo bem animada até que chegamos no terceiro bar, obviamente a pegação rolando e eu me engracei com um moço por lá.

argentina

Floralis Generica

Eis que o chamado para o ônibus que partia aconteceu e eu não percebi, então, meus amigos, sim, eles me deixaram sozinha, sozinha em um país estranho e vocês não sabem, todos os documentos e dinheiros ficaram numa bolsa com uma pessoa só, ou seja, eu estava sem dinheiro, sem documento em plena noite de Buenos Aires.

Fiquei desesperada, entrei em uma balada do lado tentando encontrar eles, não acreditando que eles tinham mesmo me deixado só, eu estava tão nervosa. Fui andando pela rua sozinha, aí reconheci uma das pessoas que estava no pub craw e perguntei pra ela com meu espanhol ruim se ela sabia onde era a balada final e talz, ela me disse que era muito longe, que eu não conseguiria chegar lá a pé, risos.

Estava bem desesperada, por que eu não tinha dinheiro, eu não tinha nada, chorei, estava com medo, então eu resolvi chamar um táxi e fingir que eu tinha dinheiro, sorte que eu lembrava mais ou menos o endereço do hotel, na hora que ele chegou eu falei pra ele continuar com o taxímetro ligado que eu iria no meu quarto pegar o dinheiro. Tive que pedir uma nova chave na recepção e a minha sorte é que eles se lembraram de mim.

Fiquei no quarto chorando e até tentei ligar para o Jader, mas esqueci que estávamos só com wifi, mandei mensagem no facebook, estava louca de raiva e tbém preocupada com eles, passou algumas horas e eles chegaram, eu briguei horrores com eles, mas no final deu tudo certo, eles acharam que eu iria com o menino no ônibus e por isso o desencontro, falo assim com calma hoje, mas eu fiquei muito nervosa, muito mesmo.

Hoje eu só consigo rir dessa história e sempre que eu conto eu dou uma cutucada no Jader dizendo que ele me largou por lá.

quilmes

Eu e a Fer tomando uma boa Quilmes

12nov

Apenas uma noite

Postado por às em Amor, Eu Você e Eles, Relacionamento
Keira Knightley e Guillaume Canet

Keira Knightley and Guillaume Canet em cena do filme Apenas uma Noite, de 2010

[Você pode ler esse texto ao som de Modern Man, do Arcade Fire ♫]

Ele se arrumou, colocou a melhor roupa e tomou banho com aquele perfume caro. Estava carente, precisa de atenção e tinha a necessidade de ter alguém em seus braços naquela noite. Não sabia quem, só sabia que queria ser amado e sentir alguns momentos de carinho e afeto. Ao encontrar os amigos fez as piadas de sempre, bebeu, dançou, bebeu de novo. A companhia dos amigos o fazia muito bem e ele sabia disso. Eles eram muito animados e ele adorava aquela bagunça, mas isso não era satisfatório, ele precisava sentir aquele amor da carne, aquele amor que fere, que machuca e que cura a solidão pelo menos por alguns momentos.

Ele tentou o primeiro, o segundo e o terceiro. Não estava satisfeito, queria sentir aquele sentimento de adolescente e tentava – desesperadamente – encontrar um amor naquele lugar fechado, com música alta. Acreditava que a bebida ajudaria e ajudou. Não foi fácil, mas em algum momento estava ele nos braços de alguém, não sabia seu nome (ainda) mas sabia que havia acertado, que a noite seria boa e que aquela ficada na balada renderia. Mas o que ela renderia?

Foram para seu apartamento, não era tão longe chegar. Demorou apenas 10 minutos dentro de um taxi, onde conversaram sobre seus trabalhos, os amigos que o acompanhavam e sobre coisas bobas. Ele estava animado pra passar a noite acompanhado, fazia tempo que isso não acontecia.

Sam Worthington e Eva Mendes

Sam Worthington e Eva Mendes em cena do filme Apenas uma Noite, de 2010

Chegaram em seu apartamento, começaram a se beijar e tudo rolou como o esperado. Transaram, fumaram cigarros e transaram de novo. Depois foram para o banho e aquele sentimento de querer ver o amor e ter carinho, atenção e afeto foi indo embora. Após o sexo ele olhava para alguém desconhecido em sua casa e pensava “até quando seria assim?”, até quando ele procuraria o amor e o perderia depois do gozo final?

No outro dia, ele usou uma desculpa qualquer para a pessoa ir embora cedo, disse que sua mãe viria a sua casa, ou um de seus amigos estaria chegando de viagem, nem ele lembra na verdade qual foi a desculpa, mas conseguiu se livrar da visita indesejada.

Após uma semana, ele recebe uma mensagem da sua companhia daquela noite. Estava sendo convidado para um jantar. “Jantar?”, pensou ele. Como poderia baixar a guarda ao nível de passar duas horas encarando uma pessoa que não conhece? Como poderia fazer piadas e conversar sobre a vida com alguém desconhecido? Como poderia comer e conversar com aquela pessoa? A resposta foi uma negativa invasiva, ele inventou uma desculpa. Como poderia aceitar esse convite? Foi só uma relação de uma noite, pensava ele após digitar uma resposta qualquer e tirar a pessoa da sua vida.

No final de semana seguinte, ele escreveu uma mensagem para seus amigos convidando-os para a próxima festa, ele estava precisando de companhia e não queria passar a noite sozinho. Ele não sabia lidar com as pessoas, mas também não sabia lidar com si mesmo. Ele não sabia de nada.

17jul

Não tem problema você ficar sexta-feira em casa

Postado por às em a vida como ela é, Filmes, Séries
Unbreakable-Kimmy-Schmidt-serie-netflix

Ellie Kemper em cena de Unbreakable Kimmy Schmidt, série de Tina Fey e Robert Carlock (2015, Netflix)

Chegou mais uma sexta-feira e você se vê na obrigação de se divertir. As mensagens no WhatsApp apontam: tem balada hoje. Seus amigos te chamam para sair: bares, cafés e mais baladas. A única coisa que você consegue pensar é no catálogo da Netflix, você enxerga ali várias oportunidades de diversão.

Não é uma questão de velhice ou saco cheio, você simplesmente prefere ficar em casa assistindo séries ou quer finalmente ver aquele filme que concorreu ao Oscar desse ano e você não viu. Afinal, precisa colocar toda aquela sua lista em dia, pois essa dívida (de conteúdo) você fez consigo mesmo.

Você não precisa ficar com vergonha ou se sentir mal por passar a sexta-feira em casa, não precisa olhar para trás e pensar “Como eu era mais divertido”, as coisas mudam. Hoje você é outra pessoa e quando tiver vontade de ir à balada, irá. Não tem problema nenhum em sair do trabalho e correr pra casa para ver TV. Afinal, as séries estão ali disponíveis. Os filmes estão há um clique de você. E isso é tão maravilhoso!

Antes eu planejava meu final de semana muito bem, queria aproveitar ao máximo aquele tempo livre, precisava sair, beber e me divertir. Hoje eu vou pra casa, bebo em casa e me divirto em casa. E acho isso incrível.

Quem nunca chegou ao trabalho numa sexta-feira pensando que quando chegar em casa começará a temporada daquela série nova? Eu contava as horas para chegar em casa depois de ter lido sobre Unbreakable Kimmy Schmidt, eu precisava ver aquela série de uma vez só e usei um final de semana pra isso. Aproveitei mal meu tempo? De maneira alguma, me diverti horrores e pela primeira vez prestei atenção na letra de Firework, da Katy Perry (Titus, melhor pessoa <3).

E também tem aqueles momentos que você não tem uma série em mente e usa sua sexta-feira para “caçar”. Foi assim que eu descobri duas séries incríveis (que foram canceladas), mas estão disponíveis na Netflix. Happy Endings, que teve três temporadas, e Apartment 23. Essa segunda eu descobri numa sexta-feira em casa e desde então sou completamente apaixonado pela Chloe, personagem de Krysten Ritter. A série é muito engraçada, sério! Fez (e ainda faz, pois eu revejo) muitos finais de semanas felizes.

Tenho uma amiga que sempre me julga quando eu quero ficar em casa, “o dia está lindo Jader e você vai ficar trancado dentro de casa?”, diz ela. Eu dou risada e digo que sim, ela bufa dizendo que estou desperdiçando meu final de semana. Será que eu estou? Estou nada, ver séries, filmes ou jogar conversa fora com seus amigos em casa é uma delícia.

Vamos combinar uma coisa então? Você não precisa ter vergonha de ficar sexta-feira em casa, não precisa ter planos para o final de semana. Apenas faça o que você quer fazer e ponto.

*Esse post foi criado após uma conversa minha com a Vanessa (que fez o layout desse blog lindo <3)

08jul

Viajando sozinho: Barcelona

Postado por às em Dinheiro, Viagem
vickybarcelona

Scarlett Johansson, Rebecca Hall e Patricia Clarkson na La Pedrera (Casa Milà) em Barcelona, no filme Vicky Cristina Barcelona, de 2008

Como vocês devem ter visto, escrevi aqui no blog sobre como organizar sua primeira viagem para a Europa (veja aqui). Logo depois que fiz o post pensei que poderia ser mais específico falando das minhas aventuras, dando dicas sobre as cidades que passei e mostrando pra vocês como pode ser fácil (e divertido) viajar sozinho. Como Barcelona foi um dos meus primeiros destinos (e aquele que mais tempo passei), resolvi começar por ela.

Barcelona é uma cidade pequena, mas é cheia de oportunidades para diversão. Você pode beber em diversos bares por preços amigáveis, passear na praia, visitar os lugares turísticos, ir ao estádio do Barça, ir nas baladas da praia… Enfim, a cidade é pequena, mas é gigante ao mesmo tempo.

Eu cheguei em Barcelona no começo de dezembro, era inverno mas a cidade não é tão fria (Se fosse comparar Barcelona com alguma cidade do Brasil essa cidade seria Rio de Janeiro). Cheguei à noite, cansado demais e fui procurar o apartamento que havia alugado. A cidade era o segundo destino da minha primeira viagem para a Europa, eu estava vindo de trem de Madrid e desembarquei na estação Barcelona Sants, que era do lado do local que eu ficaria. Como era muito perto, decidi pegar um táxi. Em Barcelona às vezes vale muito a pena você pegar um táxi, pois como a cidade é pequena você chega rápido em todos os lugares (menos no estádio do Barcelona, tem trânsito em dia de jogo).

Ao chegar ao apartamento dei muita sorte, pois ia dividir com uma brasileira e dois russos. A brasileira, que hoje é minha amiga, já me chamou pra sair na hora e eu, como não nego fogo, aceitei. Era umas 22h, não me lembro direito, e fomos para o Bairro Gótico procurar algum bar para beber ou comer alguma coisa. Esse foi meu primeiro dia viajando sozinho em Barcelona.

Nos trinta dias que fiquei em Barcelona eu estava estudando espanhol, logo minhas manhãs estavam ocupadas (de segunda a sexta, claro). Então a diversão ficava para o período da tarde. Chegava do curso, deixava os materiais, preparava um almoço (comer em casa é incrivelmente mais barato quando você está viajando) e deixava para fazer a refeição “mais cara” para o jantar. Como eu estava na cidade por um período grande de tempo, não planejava meus passeios todos os dias, às vezes decidia na hora e outras apenas saia andando olhando o mundo. E isso também era divertido. Às vezes você não precisa planejar todos os seus passos, as descobertas aleatórias também são incríveis.

A noite de Barcelona é super agradável, a cidade é jovem e convidativa. Mas se você está sozinho precisa se preparar para arrasar nas escolhas. Como a cidade é turística, tem praia e tem muitos jovens, existem algumas baladas na beira da praia que são incríveis. Antes de você chegar a qualquer balada dessas você estará cheio de vips (tem bastante gente entregando vips por todos os lados), logo não pagará para entrar, mas a bebida é bem cara. Por isso você deve fazer o “jeitinho brasileiro” e bolar um esquenta. Eu fui algumas vezes no Espit Chupitos, é um bar incrível que tem mais de 600 tipos de shots. O legal é que esse bar é bem turístico, é um ótimo lugar para você fazer um esquenta e conhecer alguém para uma balada posterior (saímos de lá acompanhados). Então, go!

Outro ponto positivo de Barcelona (e de viajar sozinho) é a qualidade do transporte público. Tem metrô em todo lugar! Uma vez, voltando de uma balada às 03h da manhã eu vi o metrô aberto e pensei “Whattt?”, naquele final de semana era 24 horas, então eu sai de lá sem me preocupar. Lindo né?

Outra dica muito importante é: faça amizades. Além de você tem outras centenas de pessoas que estão viajando sozinhas, principalmente em hostel. O legal de ficar em hostel é que você só ficará sozinho se quiser, além de ter muitos outros jovens prontos para se divertir, todo final de semana uma ou outra balada tentará te tirar todos os hospedes e levá-los para balada. Pode ser um “pega turista”, mas pode ser legal também. É só você ficar de olhos abertos e ficar aberto para se divertir.

Ao contrário do que pensam, viajar sozinho não é chato. Eu me diverti muito durante meus dias por Barcelona, Paris e Madrid, conheci várias pessoas e passei por lugares incríveis. É uma experiência que eu indico.

Plugin creado por AcIDc00L: bundles
Plugin Modo Mantenimiento patrocinado por: seo valencia