/ viagem

07jan

Roadtrip para Belo Horizonte

Postado por às em Episódio de Hoje, Viagem
IMG_4188

Roadtrip Belo Horizonte

Ano passado no mesmo período eu estava escrevendo sobre minha primeira road trip, para a linda Curitiba. Para comemorar o final de 2017 nós resolvemos fazer mais uma viagem de carro, dessa vez uma road trip para Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Mas por que escolhemos essa cidade? Dois pontos: no ano novo tá tudo pela hora da morte e por que eu sempre resolvo minhas viagens da noite pro dia. Passei uns dois dias fazendo cotações e já estava bem desistindo, quando me veio à cabeça procurar os custos para BH. Eita que bença! tava incrivelmente mais barato que qualquer lugar, óbvio, fora do circuito.

No mesmo dia bookamos o hotel e começamos os preparativos para a trip, detalhe: tudo isso foi decidido 6 dias antes da viagem! Ah como é bom ser vida louca!

Mas o que tem pra fazer em BH? No planejamento achamos programas culturais, restaurantes e bares, sim, porque BH não tem mar, só tem bar! heheheh

Carro com as manutenções em dia, comidinhas de viagem separadas, partimos eu o meu boy e as minhas filhotas, comecei dirigindo, por que me sinto mais segura nas estradas paulistas, mas a ideia era dirigir metadinha, eu fiquei animada e dirigi 400 km – sobe a plaquinha aqui de alegria pra quem morria de medo de dirigir e hoje tô assim, chic demais.

O caminho foi bem tranquilo, a estrada (Fernão Dias) estava super boa, achei bem sussa. Chegando lá, o hotel era uma delicinha, escolhemos o HolidayInn – eu já fiquei hospedada em alguns hotéis da rede, então sabia da qualidade prévia. Os quartos eram super gostosinhos, aconchegantes mesmo, a cama king, era maravilhosa.

Como sempre nas minhas trips eu procuro ir bem de boa, logo no primeiro dia fomos conhecer a Praça do Papa, indicação do meu migo Guto, que fez um mini guia pra mim! (<3) – de lá dá pra ver a cidade do alto, tem umas comidinhas de rua e tal, foi lá que meu boy experimentou o famigerado hot dog com uvas passas, sem or. As crianças brincaram naquele big espaço e voltamos pro hotel para descansar.

IMG_4053

Depois que as crianças dormiram nós fomos conhecer o Edifício Maleta, que é onde ficam os bares mais alternativos de BH, e claro, fui conhecer o Guto pessoalmente, uma vez que somos migos uns 6 anos e nada desse encontro acontecer. Encontramos também a Patty e o Danilo, foi uma noite gostosa, pena que o lugar fecha 1 da manhã. Diria que ele é bem alternativo mesmo, se você gosta de bares estrelados, não vá, mas se você quer um barzão, vai que é sucesso.

IMG_4107 IMG_4108

No outro dia fomos conhecer a Pampulha e o Museu de Arte Moderna, estava um dia chuvoso, mas foi bem legal conhecer o museu e todas as suas peculiaridades, tinha arte em todo canto, inclusive embaixo das escadas, algo meio escondido. Depois fomos almoçar no Restaurante Xapuri, um lugar tradicional, estávamos muito afim de comer comida típica mineira. Foi uma delícia.

IMG_4124

No domingo escolhemos ver a feira da Afonso Pena, uma feira enooooorme que tinha de tudo, comida, artesanato, decoração e tudo mais. Emendamos no parque que fica na mesma avenida, bem grande também, mas achei um pouco largadinho, as vezes deu uma certa insegurança. Na volta desse passeio resolvemos curtir a piscina e a jacuzzi do hotel, just relax.

Nisso já foi a virada do ano, escolhemos passar lá na Pampulha para ver os fogos perto da lagoa, não conseguimos chegar a tempo e a virada rolou no carro mesmo, à caminho, risos.

Finalizamos a virada com um vinho branco do sul da frança bem aromático, com muito abacaxi, pão e baunilha, achei ele bem equilibrado, o nome era Ferrandiere, fica a dica.

IMG_4178

Por fim, acabou nossa trip em terras mineiras, eu não consegui comer pão de queijo, não me perdoo até agora, mas tudo bem, ainda volto pra conferir isso.

Beijos

30nov

Especial Chile: Vinícola Undurraga

Postado por às em Episódio de Hoje, Vale a pena?, Viagem, Vinho

vinicola undurraga

Eu confesso que estava muito empolgada para visitar as vinícolas chilenas, e que esse era meu principal objetivo no Chile. A vinícola Undurraga estava cotada entre as mais bonitas e com o melhor passeio. Foi uma grande correria conseguir contratar um tour para nos levar até lá, uma vez que eu só tinha uma tarde para isso, já que na manhã estávamos conhecendo a Concha Y Toro.

No último minuto do segundo tempo eu consegui bookar o passeio, pá, super feliz! Saímos da Concha Y Toro e em uma hora nosso transfer estaria nos esperando no hotel. Correria, mas já adianto que valeu a pena demais.

Encantada 🍷 #wine #winetasting

Uma publicação compartilhada por Taína Sena (@tainasena) em

Chegando lá o visual já causa um grande impacto, a vinícola é linda, com jardins cheio de rosas e outras plantas. Começamos o tour com um senhor muito simpático, que está na vinícola tem 30 anos. Conhecemos um pouco da história da família Undurraga, que já não é mais dona da vinícola, conhecemos a plantações e muitas histórias sobre o plantio das uvas. Uma coisa que me chamou a atenção foi que em frente as “carreiras” das plantas, sempre havia um pé de rosas, a princípio pensei que poderia ser para enfeitar, mas na verdade o guia explicou que elas ficam posicionadas ali para que caso alguma peste ataque a plantação, a rosa vai ser a primeira a sofrer, assim, dando tempo para tentar proteger as parreiras de uva. Também foi super interessante entender que as uvas para vinho, não são como as que conhecemos, na verdade elas são super pequenas, eu não vi nenhuma madura, mas eles explicaram que a uva precisa ser menor para garantir mais açúcar e outras coisas mais.

Daqui que nascem as uvinhas #wine #winetour #vinho Uma publicação compartilhada por Taína Sena (@tainasena) em

Conheci as famosas barricas onde se deixa o vinho guardado, descobri que tem dois tipos: as francesas e as americanas, parece que a francesa é melhor, por que os poros são mais apertados, fazendo com que a qualidade do vinho seja melhor, que tenha menos escape de álcool e por fim, que adicione mais características ao vinho.

Eu poderia falar tanta coisa que aprendi nessa viagem sobre as barricas, sobre os processos, mas o post vai ficar muito longo!

A parte mais legal pra mim nesse tour aconteceu na hora em que chegamos até a sala de aromas, eu pirei, claro. Entender e saber identificar aromas no vinho era uma das minhas “metas” de aprendizado e essa sala ajudou muito na construção do meu “banco pessoal” de aromas. Espero ter guardado alguns na cabeça/nariz.

Depois dessa parte, finalmente partimos para degustação dos vinhos, e me surpreendi com as produções deles, a alta qualidade dos vinhos, indo do mais barato ao mais caro, não foi perceptível uma queda ou aumento tão brusco de qualidade no vinho.

O mais legal foi no final ver o Jader tentando encontrar os aromas e cada um dos vinhos que experimentamos, isso por que ele sempre zombou desse meu hobby e agora ele felizmente foi seduzido pela grande brincadeira que é beber vinho.

No final do tour passamos na lojinha e compramos mais algumas garrafas e claro, levamos a taça que vem de brinde quando você faz o tour.

O valor do tour ficou em 25 mil pesos chilenos, que deve dar algo em torno de 130 – 140 reais e na minha opinião vale demais!

12jan

Viagem para Curitiba de carro

Postado por às em Episódio de Hoje, Vale a pena?, Viagem, vida

IMG_6276

Tinha um tempo eu estava querendo fazer uma viagem de carro, ir um pouco mais longe do que a última que foi para Atibaia, risos. Primeiro pensei em Minas Gerais, aquela região do Capitólio, mas considerei que no final do ano iria estar super lotado, e se tem uma coisa que eu não curto é lugar cheio. É gente, a idade chega pra todo mundo.

Chegamos na conclusão de que Curitiba seria uma boa escolha, então, começamos os preparativos. O crush é uma pessoa muito metódica, gosta de planejar tudo nos mínimos detalhes, tipo ver situação das estradas, telefone das concessionárias, revisão total geral do carro, cronograma de atividades por dia. Foi bem mais do que eu citei aqui, mas foi legal essa preparação.

Eu gosto de planejar de leve, de saber as opções e acordar, tomar um café da manhã tranquila e discutir: “vamos fazer isso e isso hoje?” e ai partir.

IMG_6077

A estrada pra Curitiba é basicamente a BR 116 – Régis Bittencourt, tem 6 pedágios e dois pontos mais críticos. Saímos pela madrugada para evitar trânsito na Serra do Cafezal, que é o ponto mais complicado, onde existe uma pista única e perigosa, com tráfego dos dois lados. Eu peguei essa parte e fiquei muito tensa, é real oficial, dá muito medo os caminhões vindo em alta velocidade na pista contra você.

Acho que dirigi uns 200 km e paramos no posto Buenos Aires, que foi uma indicação que li em um blog, era um Graal bem agradável, com muitas opções. Se você está planejando ir para Curitiba, guarde essa referência, vale a pena, fica no km 442.

Road trip pra Curitiba – caminho lindo. #curitiba #nofilter #nature #achadosdasemana

Uma foto publicada por Taína Sena (@tainasena) em

Depois disso o boy assumiu o volante e pegamos a serra do azeite, cheia de curvas e paisagens bonitas, vimos o nascer do sol ali – L-I-N-D-O! foi bem gostoso. Me lembro que utilizamos tanto a palavra “contemplar” que virou o mote da viagem. Enquanto isso, foi a minha vez de atuar como co-pilota e suprir o motorista com bebidas e comidinhas (ele preparou um kit viagem cheio de bebidas, comidinhas, chocolates).

Chegamos em Curitiba city às 9h e nosso checkin era só as 12:00 – pense numa pessoa morta? Ambos! Eu não dormi nada desde o dia anterior, mas partimos em uma caminhada para o centro histórico e já conhecemos um pouco da cidade. Minhas primeiras impressões foram ótimas, parece que até os moradores de rua são ricos por ali.

Acho que esse post está um pouco extenso, então, vou contar um pouco da parte turística no próximo, ok? Já adianto que eu amey!

27set

Viajando sozinho: Los Angeles

Postado por às em Viagem

LosAngeles-cidade

[Você pode ler esse texto ao som de California, da Grimes]

No meio do ano fiz uma loucura, do nada resolvi comprar uma passagem para ficar uma semana em Los Angeles. Eu amava a ideia de viajar para EUA pela primeira vez e estava em dúvida entre LA e NY, pesquisei durante meia hora o preço das passagens e me decidi pela mais em conta: Los Angeles custava R$ 1000,00 a menos que NY e a cidade foi meu primeiro destino em solo americano.

Eu estava bem animado, mas como estava passando por uma transição na vida profissional não consegui pesquisar, planejar e nem fechar nada do que queria ver na cidade. Foi tudo tão corrido que eu não sabia quais lugares de Los Angeles visitaria. Vocês acreditam que comprei o ingresso para o Parque da Universal em frente ao parque? Loucura mesmo.

usa-hostels-hollywood

USA Hostels Hollywood

Eu cheguei na cidade e fiquei hospedado no USA Hostels Hollywood, gostei bastante do lugar. Uma semana de hospedagem (em quarto compartilhado, afinal é um hostel) ficou por 330,00 dólares, como fechei muito em cima da hora (uma semana antes) achei o valor super bom, principalmente por que fica há menos de 100 metros da Hollywood Boulevard, aquela avenida maravilhosa da calçada da fama, cheia gente bonita, onde acontece os eventos de lançamento de filmes, cheia de lojas, galera de cosplay e etc. Eu adorei me hospedar nesse hostel e fui pra lá por indicação de um amigo.

Eu adorei a época que fui, pois estava calor. Tinha sol durante o dia, demorava para escurecer e ainda fez um tempo muito gostoso durante toda minha viagem, foi bacana demais. No primeiro dia eu andei pela calçada da fama, fiz algumas compras, comi, bebi e descansei, afinal de contas tinha ficado um bom tempo no voo e queria descansar, pois nos outros dias eu precisava curtir! Mas ainda consegui visitar o museu de cera, que fica na Hollywood Boulevard. Fiquei chateado pois não tinha uma versão da Lady Gaga de cera, mas sobrevivi. O museu não é muito legal, porém eu peguei um desconto de 50% na rua e foi sucesso.

No segundo dia decidi que iria até a Universal Studios e visitaria o parque do Harry Potter. A brincadeira me custo 100,00 dólares, mas com esse ticket eu tive acesso ao parque inteiro e também a versão hollywoodiana da atração do Harry Potter. Eu adorei o passeio pelo parque, pelo castelo de Hogwarts e me senti dentro dos filmes. Aliás, fiz o rico e comprei várias coisas, incluindo uma varinha do Harry e outra do Voldemort, pois eu ainda não sei se sou da Sonserina ou da Grifinória. O parque é muito legal, achei que valeu a pena o preço. Só que eu estava sozinho, então não conseguia passar muito tempo na fila das outras atrações do Parque da Universal, eu acho chato filas quando estou sozinho. Mas aproveitei para comer bastante e beber muita cerveja.

No terceiro dia eu já sabia onde iria e, também, comprei na hora! Umas das minhas vontades, desde cedo, era conhecer os estúdios de Warner Bros, ver onde as séries são gravadas, ir no Central Perk e tudo mais. Eu sou muito fã de séries, principalmente de Friends e estava muito animado para conhecer tudo. Eu ia sozinho, até que no hostel acabei conhecendo um brasileiro que estava indo para o mesmo lugar na mesma hora e fomos juntos. Foi divertido, eu curti bastante o passeio, fiz alguns posts no Snapchat mostrando a casa dos pais da Mônica (Friends), onde era filmada a série Pretty Little Liars e também onde aconteceu aquele icônico beijo de Peter Parker/Homem-Aranha com Mary Jane, no primeiro filme do herói. Ah, também passei em frente ao lugar onde foi filmado o episódio em que o Marcel (o macaco do Ross) grava um filme com o Jean-Claude Van Damme. Eu fiquei bobo, pois sou fã de Friends.

Nessa hora eu tava falando “moça, bate essa foto direito pois não sou obrigado”. #Friends #CentralPerk

Uma foto publicada por Jardinho (@jaderplanob) em

Eu queria muito conhecer Santa Mônica e também Venice, eu adoro praias e adoro ver gente, por isso passei três dias seguidos pegando Uber para esses lugares maravilhosos. Santa Mônica e Venice são dois distritos dentro de Los Angeles que me lembram muito a diferença entre Madrid e Barcelona, São Paulo e Rio de Janeiro. Enquanto Santa Mônica é aquela coisa linda, meio dura e séria, Venice passa aquela sensação de juventude. Eu amei aquele lugar!

Eu passei sete dias no total em Los Angeles e voltei para São Paulo com 5kg a mais. Dá para acreditar? Eu bebi tanta cerveja (e tão gostosas) e comi tanto hambúrguer que sinto falta até agora. Los Angeles não é uma cidade barata, sim se você pensar em comprar coisas que vendem pouco no Brasil, como vinil, funkos e sapatos da Dr. Martens. O que eu fiz? Comprei tudo! Quando estava em Santa Mônica passei pela 3rd Street Promenade, é uma rua incrível cheia de lojas maravilhosas. Lá eu comprei o meu primeiro Dr. Martens (no Brasil custa 800,00 reais, paguei 100,00 dólares) e algumas bugigangas.

Outros dois lugares que gostei bastante na minha passagem por Los Angeles foram: Amoeba Music e Urban Outfitters. Essas duas lojas levaram meus dinheiros e me deixaram muito contentes. Eu tenho um toca discos e aproveitei para comprar todos os álbuns da Lady Gaga e ter uma coleção completa, além de presentes para amigos. Eu parecia uma criança na Disney, pois as lojas são incríveis e tem coisas que no Brasil são extremamente caras.

 

Num pub em Santa Monica

 

Uma foto publicada por Jardinho (@jaderplanob) em

Los Angeles é uma cidade um pouco complicada de se locomover, eu tive que andar muito de Uber e em sete dias de viagem gastei mais de R$800,00 (reais, gente) indo de lá pra cá e visitando os pontos da cidade. Eu nem sabia onde era o metrô, só para vocês terem ideia de como sou perdido. Mas eu adorei essa experiência de viajar para a cidade sozinho, gosto de conhecer lugares e coisas sob minha perspectiva.

Antes de conhecer Los Angeles minha cidade favorita era Barcelona e hoje eu tenho que contar: Barcelona agora é a segunda favorita, pois Los Angeles me ganhou de um jeito. Eu adorei aquela cidade e espero voltar muitas outras vezes.

20jun

Férias em Morro de São Paulo

Postado por às em Viagem

Morro-de-São-Paulo

Pela primeira vez eu fiz uma viagem de férias para Morro de São Paulo, na Bahia. Não sabia que era um destino famoso e desejado. Poucos sabem, mas eu não tive tempo de planejar nada para essa trip, minhas queridas amigas Dani e Carol que fizeram grande parte do job.

As duas fizeram um trecho antes de mim, foram para a Chapada Diamantina, como era uma coisa mais roots eu declinei dessa parte e entrei apenas quando o destino era mais “tranquilo”. Fizemos a costa do dendê e a costa do cacau, conhecemos algumas ilhas e nesse post vou falar basicamente sobre Morro de São Paulo.

Como chegar em Morro de São Paulo?

Eis que vem o primeiro desafio, ilha é ilha né? Quem disse que é fácil chegar? Saí de SP, peguei um avião, nos encontramos no aeroporto de Salvador e ai começou a saga: pega um transfer, um catamarã 40 minutos, mais uma hora e pouco de carro e mais uma lancha. Quem disse que ia ser fácil? Quando você chega na ilha, tem que pagar uma taxa de preservação, acho que 15 reais, ai tu sobe literalmente um morro, risos. A cidade é bem pequena, tem 5 praias, muito comércio, restaurantes, hotéis e atividades turísticas. É bem pequena, mas aconchegante, acolhedora, você se sente bem, quase que em casa.

Onde se hospedar em Morro de São Paulo?

Nós ficamos no Anima Hotel, o segundo melhor hotel de Morro segundo o trip advisor (!) – ele fica na praia 4, que é extremamente reservada, um paraíso. Viagem tem sempre aquele lance de você ficar com medo do hotel não ser bem o que mostra nas fotos né? Com o Anima, não tivemos esse problema, ele era bem mais do que esperávamos. Ficamos num bangalô bem legal com jacuzzi e um clima todo romântico, percebemos que o lance em morro é meio que pra casais. Toda a equipe do hotel é maravilhosa, se você procura um lugar, apesar de ele ficar 20 minutos do ~centro~ vale muito a pena.

anima-hotel-morro de sp

Divulgação

Onde comer em Morro de São Paulo?

Todos os lugares são bem familiares, com comida simples, natural e cheia de peixe, camarão e tudo mais que o mar nos oferece. Tem restaurantes para todos os gostos, mas o forte mesmo é aquela moqueca, peixe, camarão, frutos do mar em geral. Eu fui em alguns lugares e na verdade não vou indicar nenhum, você pode experimentar tudo que a ilha te oferece, a única recomendação que faço é tomar cuidado com aqueles restaurantes que tem na beira da praia, pois quando a comida chega, vem junto um monte de mosca que aparece do nada pra atrapalhar sua linda refeição.

morrodesp-animahotel

instagram @tainasena

O que fazer em Morro de São Paulo?

Olha, tu tens 5 praias à disposição e ainda tem uma boa gama de passeios, como por exemplo visita às piscinas naturais, passeio volta a ilha, praia da gamboa, visita no bar flutuante. Cada praia tem uma característica diferente, 1 e 2 tem onda, água limpa e mais pessoas. Agora a 4 é bem tranquila, quando a maré está baixa o mar fica lá longe, é bem legal ver isso. A praia é cheia de conchas, não tem ondas, dá pra ver uns peixinhos e uns caranguejos. Nós fizemos o passeio das piscinas naturais, é bem interessante, você é levada até o local, o guia te deixa livre para curtir a piscina, ver os peixinhos nos corais, é bem massa!

Keep calm e férias é bom demais   Uma foto publicada por Taína Sena (@tainasena) em

Resumindo: Morro de São Paulo é uma delícia, geralmente é cheio de casal, ao menos nessa época, vale muito pelas paisagens, belas praias, contato com a natureza. Um único aviso: leve dinheiro físico, pois só existe um caixa do Banco do Brasil e uma mini agência do Bradesco e na maioria das vezes não tem dinheiro.

Plugin creado por AcIDc00L: bundles
Plugin Modo Mantenimiento patrocinado por: seo valencia