/ viagem

18nov

Fiquei sem dinheiro e sem documento na primeira viagem internacional

Postado por às em Amizade, Viagem
buenos aires

foto arquivo pessoal

As histórias de viagens são sempre muito legais, cada perrengue, cada imprevisto que acontece que na hora te deixa a flor da pele, mas depois que passa, fica uma lembrança engraçada e boa de contar nas rodas de amigos. Eu resolvi desenterrar uma dessas histórias, que eu acredito que merece ser contada.

Era 2012 e eu estava me preparando para minha primeira viagem internacional, o destino? Buenos Aires, nosso quintal europeu, risos. Três amigos juntos, vocês podem imaginar o tanto que aprontamos né? Primeira viagem, primeiro país, descobrimos o tal do Pub Craw, relevem que eu era mais nova nessa época… pra quem não sabe o que é: basicamente um grupo de jovens que junta outros jovens por um preço camarada faz um esquenta, depois levam você para 3 bares e finalizam a noite em uma badalada boate local.

Nós já ficamos super animados no esquenta e como era bebida liberada até o horário de partir para o primeiro bar, já saímos calibrados. Chegamos no primeiro local, maior animação, quando falávamos que éramos do Brasil a galera pirava, esse tipo de balada só tem gringo, eles sempre ficam animados quando se fala em Brasil, olha a fama. E a noite foi seguindo bem animada até que chegamos no terceiro bar, obviamente a pegação rolando e eu me engracei com um moço por lá.

argentina

Floralis Generica

Eis que o chamado para o ônibus que partia aconteceu e eu não percebi, então, meus amigos, sim, eles me deixaram sozinha, sozinha em um país estranho e vocês não sabem, todos os documentos e dinheiros ficaram numa bolsa com uma pessoa só, ou seja, eu estava sem dinheiro, sem documento em plena noite de Buenos Aires.

Fiquei desesperada, entrei em uma balada do lado tentando encontrar eles, não acreditando que eles tinham mesmo me deixado só, eu estava tão nervosa. Fui andando pela rua sozinha, aí reconheci uma das pessoas que estava no pub craw e perguntei pra ela com meu espanhol ruim se ela sabia onde era a balada final e talz, ela me disse que era muito longe, que eu não conseguiria chegar lá a pé, risos.

Estava bem desesperada, por que eu não tinha dinheiro, eu não tinha nada, chorei, estava com medo, então eu resolvi chamar um táxi e fingir que eu tinha dinheiro, sorte que eu lembrava mais ou menos o endereço do hotel, na hora que ele chegou eu falei pra ele continuar com o taxímetro ligado que eu iria no meu quarto pegar o dinheiro. Tive que pedir uma nova chave na recepção e a minha sorte é que eles se lembraram de mim.

Fiquei no quarto chorando e até tentei ligar para o Jader, mas esqueci que estávamos só com wifi, mandei mensagem no facebook, estava louca de raiva e tbém preocupada com eles, passou algumas horas e eles chegaram, eu briguei horrores com eles, mas no final deu tudo certo, eles acharam que eu iria com o menino no ônibus e por isso o desencontro, falo assim com calma hoje, mas eu fiquei muito nervosa, muito mesmo.

Hoje eu só consigo rir dessa história e sempre que eu conto eu dou uma cutucada no Jader dizendo que ele me largou por lá.

quilmes

Eu e a Fer tomando uma boa Quilmes

27out

O teu amor pra onde foi?

Postado por às em a vida como ela é
Cena do filme Her, de Spike Jonze

Cena do filme Her, de Spike Jonze

[Você pode ler esse texto ao som de Quem inventou o amor?, da Legião Urbana]

Tudo era mil maravilhas, meu bem pra cá, meu bem pra lá. Saíram alguns eu te amo e tudo parecia tão bem, aparentemente estávamos felizes morando juntos, tudo foi tão rápido, em alguns meses já estávamos bolando planos de casamento e até planejando a nossa festa juntos, a viagem de lua de mel.

Mas ai de repente você vira e diz que tudo acabou, que o amor que você declarou várias vezes não existia mais, pra onde será que ele foi? Será que esse amor ai foi apenas uma ilusão? apenas um profundo gostar de si próprio que saiu do teu corpo e dá um pulo em uma outra pessoa, mas logo volta para seu lugar de origem, o amor próprio?

Eu sei, talvez nós tenhamos sido muito rápidos né? Afinal, pra quem já está na nossa idade, pra que fazer joguinhos? Pra que fingir desinteresse? Eu não sei. Será que mesmo no auge da nossa vida adulta temos ainda que nos submeter a esses jogos de sedução onde um finge que não viu a mensagem no whatsapp e demora no mínimo 30 minutos para responder?

Mas também não consigo entender como o amor se esvai assim tão rapidamente, deixa o que no lugar? Você também não conseguiu se explicar, nem sabe dizer como isso aconteceu, conversamos e o melhor foi você partir, pegar suas coisas e sair da minha casa, da minha vida.

Talvez seja melhor procurar o amor que se foi, mesmo que encontre em outro colo, em outro sorriso que não seja o meu, por que assim como o seu amor não existe mais, o meu também jaz profundamente.

Enquanto a vida vai e vem
Você procura achar alguém
Que um dia possa lhe dizer
– quero ficar só com você

*Este conto faz parte de uma série de crônicas do a vida como ela é.

26out

A importância de ficar sozinho

Postado por às em Amor, Eu Você e Eles, Relacionamento
greys-anatomy-temp11

Ellen Pompeo em cena da série Grey’s Anatomy, criado por Shonda Rhimes

[Você pode ler esse texto ao som de Hello, da Adele]

Essa semana eu cantei junto com Damien Rice em seu show em São Paulo. Foi um dos sonhos que realizei, ele estava lá há poucos passos de mim cantando as músicas que já me fizeram chorar muitas vezes. Sou apaixonado por esse moço e por suas musicas há muito tempo. E se você costuma ler esse blog com frequência, sabe que muitas das músicas que indico aqui são dele, diferente da música de hoje.

Comecei esse post falando sobre o show do Damien Rice, pois uma das entrevistas dele, enquanto estava no Brasil, foi sobre a importância de ficar sozinho. O irlandês conhecido mundialmente por The Blower’s Daughter (do filme Closer), disse que “ficar sozinho é tão importante quanto dormir” e eu concordei tanto com isso que decidi tornar isso um episódio de hoje aqui no blog. Damien Rice ficou muito tempo sem lançar músicas novas e sem sair em turnê, ele se escondeu da vida e ficou sozinho, criando uma nova pele, ou se moldando para uma nova vida. E eu estou mais ou menos nessa fase.

Eu não vou sumir, não deixaria os amigos e família de lado, não irei para a Islândia. Eu só estou sozinho, lidando com aquela nossa insustentável leveza e criando coragem para partir para outra. Há algum tempo e tomei algumas decisões que estão me levando para uma nova fase. Depois de 28 anos, finalmente eu me conheci. Agora conheço todos os meus defeitos e sei muito bem o quanto sou perfeito em algumas coisas. Parei para pensar na minha vida e em tudo que eu poderia e quero fazer e tomei decisões. Uma delas é finalizar todas as coisas que estão abertas, decidir todos os passos que posso decidir e aqueles que não tenho poder, deixar de lado. Nessa fase da vida eu não quero que alguma indecisão me prenda, eu quero trabalhar com as coisas certas, mesmo que isso me faça ficar sozinho. E se eu ficar sozinho, não terá nenhum problema.

carrossel-greys

Eu demorei muito tempo para me conhecer e tomar decisões. Parece que quanto mais o tempo passa mais estamos ficando maduros, mesmo sendo os bobos de sempre. Hoje em dia aquelas frases clichês que tanto me faziam rir, estão fazendo sentido. Até o título desse post faz um sentido que não faria para o Jader de 5 anos atrás. Aquele cara não entenderia nada que esse moço escreve aqui, ele precisou ficar sozinho e aprender o quanto isso é importante. Ele precisou amar mais o outro do que a si próprio para entender o quanto isso é errado, o quanto é burro colocar a vida de alguém – que não te quer – na frente da sua. Agora, ele olha pra trás e sorri para aquele menino que errou diversas vezes ao acreditar que “dessa vez é o amor verdadeiro” e ir com tudo.

Claro que vou continuar errando e quando acreditar que é real irei sem medo. Mas irei sabendo como as coisas são, pois não estou desacreditado do amor, pelo contrário, eu acredito muito. Mas eu acredito em mim e acredito que ninguém precisa se prender a alguém para ser feliz. Passei tanto tempo sozinho sendo feliz, que não tenho pressa em encontrar o amor da minha vida. Eu não procuro mais, na realidade eu procuro ser feliz comigo mesmo. Ser feliz no meu dia a dia e entender a importância das minhas escolhas.

Às vezes precisamos passar um final de semana trancados em nossas casas, fazendo algo que queremos fazer mas “estávamos sem tempo”. Esse último final de semana eu fiz isso e lembrei o quanto gostava de assistir Grey’s Anatomy. Essa série me faz chorar de um jeito tão lindo e me deixa numa paz tão grande. Ontem estava eu aprendendo com as lições da série e concordando com frases da Shonda Rhimes (aquela assassina!). Esse tempo que me dei, mesmo sendo pouco, é tão precioso. Em 2011, viajei sozinho para a Europa e fiquei 60 dias passeando por quatro países, conhecendo pessoas novas, visitando novos lugares e ficando comigo mesmo. Foi tão incrível que me pego pensando em fazer isso novamente, ficar sozinho em países que não conheço, ver coisas novas sozinho, apreciar a vista com meus olhos e guardar aquilo pra mim. Penso ainda que seria bem melhor que da outra vez, pois hoje sou alguém um pouco melhor.

Acredito que antes da gente se apaixonar por alguém e conhecer uma pessoa a fundo, temos que nos apaixonar por nós mesmos e nos conhecer muito bem. É um passo muito importante para ser feliz.

02set

Quanto custa uma bolsa Louis Vuitton?

Postado por às em glamour, Quanto custa?, Você rica

louis-vuitton-neverfull-mm-canvasExiste muito glamour e sonho ao redor da marca Louis Vuitton, sonho de consumo de muitas mulheres, as bolsas sonho são desejadas exatamente por sua exclusividade e status de luxo, certamente você já viu uma dessas andando por ai, obviamente muitas réplicas também, já que 8 entre 10 mulheres querem ter uma LV, mas por conta do preço, nem todo mundo consegue e acaba se perguntando: Quanto custa uma bolsa Louis Vuitton?

Como o conceito desta tag é trazer o preço pra galera, eu selecionei a bolsa Neverfull, que foi o meu segundo modelo da marca pra falar sobre o valor, o nome deste modelo traduzido do inglês vira “nunca cheia” que é um conceito interessante já que é uma big bolsa entre todos os tamanho (PM, MM e GM), achei uma puta sacada o nome do produto!

Hoje uma bolsa Neverfull PM custa aqui no Brasil RS3950,00, já o modelo MM sai por RS4.200 e por fim o modelo maior, que é mega grande mesmo custa RS4.400,00, todas vem com uma bolsinha interna, que eu já usei várias vezes como bolsa de mão, sabe em eventos que pedem uma pequena bolsa?

NeverfullMon77

Eu comprei a minha Neverfull no ano passado em Chicago, crente que iria pagar muito mais barato, a outra eu comprei em Paris (leia o post aqui), mas considerando as conversões e tudo mais saiu quase a mesma coisa, comprei a GM e saiu em torno de RS3.900,00, bom, não me lembro quanto estava aqui no Brasil na época, mas provavelmente devo ter economizado uns 400 reais, mas, convenhamos que a loja no Brasil parcela em até 3 vezes e lá fora você tem que pagar à vista no cash, na bufunfa, ou seja, precisa pensar no que é melhor pra você.

Tirando o fato de a minha bolsa ter sofrido com algumas mordidas do cachorro (chora!), ela está perfeita e tenho certeza que vai durar minimamente uns 10 anos.

Atualmente estou de olho nessa daqui, o que vcs acham?

27ago

A ignorância é uma benção

Postado por às em vida

olhos-vendados-2

Quantas vezes você já ouvir dizer “A ignorância é uma benção”? eu muitas vezes, e até entender o que isso significa na real levou um tempo, pode parecer aquela coisa de white people problems mas quando você não conhece alguma coisa, ela não existe, obviamente, mas você já parou pra pensar o quanto a internet, as redes sociais nos tiraram da ignorância em algumas coisas que na verdade não são tão necessárias, mas que tem impacto depois dessa “ignorância” ser quebrada?

Às vezes eu me incomodo com isso pois é um caminho sem volta, você descobre um produto maravilhoso, ou uma cidade estupenda e na verdade se martiriza pois não pode ter ou ir e ter a mesma experiência, no caso de produtos é um pouco mais fácil, mas por exemplo as menininhas que acompanham essas blogueiras de moda, quanto não são influenciadas, quanto não sofrem? Para algumas pessoas pode trazer um impacto positivo como motivação e talz, mas acho que na outra parte pode gerar muita frustração.

mafalda

Eu brinco que um dia eu experimentei um vinho tão maravilhoso (e caro!) que as vezes me arrependo, por que agora eu vou sempre compará-lo com todos os vinhos que tomar e penso: quando eu vou beber aquele Barolo novamente?

Comigo sempre foi uma coisa motivadora, de me espelhar em algumas pessoas que fazem coisas incríveis e querer fazer também, por exemplo quando eu trabalhava com telemarketing muitos anos atrás e uma moça que trabalhava comigo começou a fazer faculdade e falar como era, eu me inspirei e corri atrás pra fazer a minha, inclusive fui a primeira pessoa de toda a minha família a se formar em um curso superior, acho que no fundo todos nós somos motivadores de uma cadeia, eu me inspiro em x pessoa assim como outras pessoas podem se inspirar em uma coisa que fiz positiva ou negativa.

Acredito que a ignorância é sim uma benção, mas saber lidar com o que vem depois também.

Plugin creado por AcIDc00L: key giveaway
Plugin Modo Mantenimiento patrocinado por: seo valencia