/ vinho

10fev

O que aprendi ficando um mês sem consumir bebidas alcoólicas?

Postado por às em Bebidas, Fitness, vida
se-beber-nao-case-filme

Bradley Cooper, Ed Helms, Zach Galifianakis e Justin Bartha em cena de “Se Beber, Não Case”, filme de 2009.

Eu sempre brinquei com meus amigos que eu “era alcoólatra e sabia disso”, era uma brincadeira boba, pois eu bebia quase todos os dias e tinha consciência disso. Beber cerveja, vinho ou vodka era tão natural quanto natural quanto beber água, aliás, passei muito tempo da minha vida consumindo mais bebidas com álcool do que sem, principalmente por não ter costume de beber refrigerantes sempre. Mas hoje faz um mês que não consumo nada com álcool, loucura né?

Eu fui o cara que não tinha bebidas sem álcool na geladeira, que fazia drinks com vodka de segunda-feira e achava isso norma, aliás, até hoje – sem beber – ainda continuo achando. Eu não fiz uma promessa nem nada, não passei por uma experiência de quase morte por causa da bebida, não feri ninguém, só pensei como seria minha vida sem beber e aqui estou. Esse texto é bem diferente do que vocês costumam ler aqui no blog, é algo ainda mais pessoal que aqueles posts românticos sobre amor não correspondido, é um texto sobre como foi meu primeiro mês sem álcool.

Quando eu decidi parar de beber, no dia 10 de janeiro, eu pesava 81 kg e estava acordando de ressaca, pois o sábado tinha sido um tanto agitado pra mim. Tirei a cerveja, tirei o vinho e a vodka e com isso, aliado a uma alimentação mais organizada, me fez perder 5 kg, sim em um mês. Hoje eu acordo mais cedo, disposto e também tenho mais pique para ir à academia. Como tento sinusite estou acostumado a ter dores de cabeça, pelo menos 2 vezes por semana, mas nesse tempo que estou sem beber tiver dor de cabeça apenas um dia, no dia que mudei de apartamento. Eu não sei que o fato de não ter dores de cabeça está ligado à falta de bebida, porém prefiro acreditar que ajudou um pouco.

Depois de dois anos dividindo apartamento com dois amigos, resolvi morar sozinho. Vocês sabem o que isso significa né? Não é de liberdade que estou falando, é de gastos. Hoje pago sozinho um aluguel e todas as contas no centro de São Paulo, tem internet, TV, gás, água e etc… Uma das últimas vezes que fui a um bar e em seguida na balada (enquanto ainda estava bebendo) gastei uma boa grana, algo em torno de 300 reais, em um dia. Acho muito? Acho! E agora estou há um mês sem esse tipo de gasto. Fui a baladas depois que parei de beber, aproveitei bastante o carnaval de rua de São Paulo e, somado meus gastos, não passaram de 20% do que gastei nesse última saída enquanto estava bebendo.

Eu não sei se pra vocês isso faz sentindo, mas pra mim faz tanto que estou pensando em continuar assim, com uma vida mais saudável, mais barata e mais responsável. Sinto falta de beber uma cerveja de vez em quando, ainda mais nesse verão escaldante que está fazendo em São Paulo, porém estou trocando por sucos, por muita água e – por mais incrível que pareça – não tenho do que reclamar. Eu estou bem e me preocupo em não ser aquele cara chato que julga os amiguinhos bêbados, pois é tão normal quanto estar sóbrio.

A Taína, que divide seus episódios aqui comigo, deu a dica pra eu fazer uma média de quanto economizei nesse tempo que estava sem beber. Vou tentar aqui:

Uma balada: três águas por 15,00 e teria gasto 120,00.
Três blocos de carnaval de rua: nove águas por 45,00 e teria gasto 300,00 (catuaba está custando 25,00 na rua, mores).
Quatro bares com amigos: 150,00 (bebi sucos variados) e teria gasto 400,00.
Dois encontros em casa/casa de amigos: 60,00 e poderia ter gasto 150,00.

No total, nesses 31 dias sem beber, eu gastei – com saídas em que normalmente beberia – mais ou menos 270,00, mas poderia ter gasto 970,00. Olha a economia? Eu chutava que gastava em torno de 600,00 por mês com bebidas, nessa conta aqui por cima gastei 700,00 reais, quase lá.

Esse texto não é pra dizer pra você “pare de beber”, pois não falarei isso. É um texto pra compartilhar com vocês essa minha experiência de um mês sem álcool e algumas das minhas vitórias nesse meio tempo.

Eu não sei por quanto tempo ficarei sem beber, não sei se vou parar de vez ou vou tomar uma cerveja ou um vinho de vez em quando, o que eu sei é que estou curtindo essa nova fase da minha vida.

04dez

Quanto custa jantar no Jamie’s Italian

Postado por às em Gastronomia, Quanto custa?

jamie-super-plank

Sim! A tag mais aguardada do blog voltou e nessa semana testamos um restaurante bem legal e que todo mundo anda comentando, o famoso Jamie’s Italian, do mais famoso ainda Jamie Oliver, que é um chef lá das terras do Reino Unido que tem e teve programas de tevê e é bem conhecido por sua “luta” por uma alimentação melhor, por cozinhar alimentos frescos.

Aqui no Brasil o programa dele geralmente está na grade do GNT e tem várias séries, é bem interessante, receitas de 15 minutos ou outros especiais.

Eu e o Jader estávamos num evento que era bem perto do restaurante, a visão de fora é bem bonita, parece até um restaurante super refinado, mas quando você entra, percebe a simplicidade e sofisticação do ambiente. Bem receptivo e aconchegante, não tinha fila, observei que o lugar é bem grande e tem algumas áreas, acredito que caibam umas 200 mesas lá, não sei, chute.

Recebemos o cardápio e mensagens de amigos que já tinham ido lá, uns reclamando do tamanho dos pratos e outros do tamanho e preço da entrada. Com isso em mente, observamos e pedimos uma cesta de pães de entrada, 22 reais, chegaram uns 4 pães diferentes e um molhinho maravilho, quero fazer em casa. Jader foi no italiano e pediu o que? Salmão, o prato dele estava lindo! Segundo ele maravilho e custou 48 reais. Eu não podia deixar passar e obviamente pedi a massa, um Tagliatelli com ragu de carne e porco ao vinho, tinha duas opções de tamanho, meia porção 29 e inteira por 39, obviamente fui na grande, era muito grande. Achei a massa muito boa, o molho também, a massa era bem leve, uma das poucas e boas que já comi. Também pedimos uma batata rústica que estava gostosinha, para beber o Jader foi de vinho 20,00 a taça e eu de suco de maçã verde com água de coco, achei médio.

Não satisfeitos o bastante, resolvemos pedir as sobremesas, eu fui de cheesecake de limão siciliano com amora e Jader de epic brownie, que tinha sorvete de caramelo com flor de sal e pipocas caramelizadas. Minha decepção chegou nesse momento, a minha sobremesa tinha um quesito que estava muito estranho, um molhinho, a caminha de limão siciliano tinha um gosto muito ruim, que parecia com o cheiro de frango cru, sério! Eu pedi pro Jader experimentar e ele também achou isso, alguém também já comeu? É o tal do Lemon curd que é feito de ovos e limão, acho que o ovo no caso foi o que pesou.

jamies

No fim das contas, o total deu uma média de 115 reais para cada um, chegando naquela mesma conclusão de sempre, não foi caro e valeu a experiência, principalmente se comparando com os fast foods da vida.

Serviço:
Jamie´s Italian
Endereço: Av. Horácio Lafer, 61 – Moema, São Paulo – SP
Telefone: (11) 2365-1309

15out

Especial: Quanto Custa jantar no Famiglia Mancini?

Postado por às em Quanto custa?
famiglia

Brunno Kono/iG São Paulo

Oi gente! Os lindos da Taína e do Jader convidaram eu, Jessica, e meu namorado Breno, para falarmos sobre um dos restaurantes italianos mais famosos de São Paulo, o Famiglia Mancini.

Nós curtimos muito sair pra comer e, apesar de ser uma paulistana de nascença, nunca tinha ido ao Famiglia Mancini, que é um famoso restaurante em São Paulo. Meus pais sempre me contam histórias de quando começaram a namorar e iam toda semana na cantina então sempre tive uma grande vontade de conhecer o lugar! <3

O clima começa logo na entrada: na Rua Avanhadava. Um dos lugares mais bonitinhos da cidade, fica perto do Baixo Augusta e é um charme só com luzes penduradas por toda a extensão da ruazinha estreita. Hoje, quase todos os estabelecimentos da Avanhadava pertecem à família como indica a última folha do cardápio.

Preciso confessar pra vocês: a gente achava que iria gastar uma boa grana no jantar, mas nos surpreendemos! Fomos sem saber quanto custa jantar no Famiglia Mancini! Os valores são bem parecidos com as outras cantinas tradicionais de São Paulo como o C que Sabe, por exemplo: os pratos giram em torno de R$98,00 a R$120,00 a massa com o molho. Lembrando que todo restaurante italiano que se preze tem uma fartura de comida além da imaginação com pratos perfeitos para você e sua família de 12 pessoas.

Nós pedimos o tagliarini com ossobuco e molho ao sugo e era incrível! Comemos bem e ainda levamos o resto pra casa para o almoço do dia seguinte. Eu gostei muito da embalagem de viagem deles, própria para esquentar no microondas, e bem fechadinho para não perder o sabor.

Em compensação, sentimos que os vinhos eram um pouco mais caros que a média, o que acaba mexendo no orçamento final da conta. Se você pretende economizar com o jantar, já fica a dica. :)

Outra coisa que pode encarecer sua conta é o buffet de entradas: com uma mesa enorme cheia de queijos, antepastos e pãezinhos maravilhosos, você pode montar o prato de entrada com seus preferidos por 100g a R$11,00. Como a gente não sabe se portar frente à uma mesa de queijos nós acabamos exagerando um pouco hahaha! Gastamos juntos cerca de R$30,00 de entrada que poderia muito bem ser substituída pelo bom e velho combo pãozinho + azeite presente no cardápio.

No fim das contas nós achamos um bom custo-benefício pelo ambiente lindo, cheio de história e a comida deliciosa! O Famiglia Mancini é um daqueles lugares que vale a pena conhecer pelo menos uma vez na vida <3

***Este post foi escrito por Jessica Greco e Breno Oliveira que são um casal fofo e assim como nós, adoram saber que se pode comer bem sem gastar muito.***

Plugin creado por AcIDc00L: bundles
Plugin Modo Mantenimiento patrocinado por: posicionamiento web