/ moscatel

08dez

Conheça a história da uva Moscatel Roxa da região de Setúbal e saiba porque ela quase foi extinta

Postado por às em Vinho
Uva moscatel roxa

Oi gente tudo bem? Essa semana eu recebi um press release super interessante sobre a uva Moscatel Roxa, que é da região de Setúbal, aquela que produz aquele vinho de sobremesa maravilhoso chamado Moscatel de Setúbal.

Muita gente torce o nariz para esse tipo de vinho, mas acho que falta um pouco de análise e entendimento. Depois que descobri e aprendi a analisar a complexidade tanto de aromas quanto em boca, eu me apaixonei, sem falar na acidez perfeita que equilibra o dulçor desse tipo de vinho!

Bom, vou compartilhar o release que tem uma história interessante!

Para quem gosta de apreciar um bom vinho, ouvir suas histórias também transforma a degustação em um momento muito mais agradável. E uma bela história vem da região de Setúbal, em Portugal. A casta/Uva Moscatel Roxo quase se extinguiu há quase 30 anos. Hoje na região têm cerca de 45 hectares (ha) plantados da uva, mas na época de quase extinção, havia menos de 5Ha em Setúbal. E mesmo tendo aumentado a plantação, a uva ainda é considerada rara.

Henrique Soares, que faz parte da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS), entidade Certificadora dos vinhos da Península de Setúbal, de Portugal, conta que essa é uma casta muito sensível, cuja manutenção na vinha é cara e exigente. Requer muita atenção e tem de ser colhida assim que atinge o seu ponto de maturação ideal, caso contrário por ser tão doce, é ‘atacada’ por pássaros que se deliciam, deixando apenas as peles e caroços para trás.

“Em outros tempos essa uva não era tão valorizada na enologia e ninguém pagava o seu real valor, fazendo com que, os viticultores deixassem de as querer plantar. Muitos foram mais longe ao arrancar estas vinhas, para as substituir por outras, com uvas mais fáceis e rentáveis. Felizmente hoje, a casta é rainha na região, mas o seu replantio, dadas as normas de plantação da U.E., as pressões comerciais e claro as condições financeiras de cada adega, tem sido lento, mas progressivo”, conta Henrique Soares.

16dez

Você sabe escolher um espumante?

Postado por às em Gastronomia, glamour, Quanto custa?

Capturar

Natal e Ano Novo já estão quase aí e sempre tem as bebidas clássicas desta época: os espumantes! Mas você sabia que existe muita coisa nesse mundo e que você precisa entender para escolher um que caia melhor com o seu gosto ou caso queira fazer algum tipo de harmonização?

Primeira coisa que precisamos esclarecer é que só é Champagne o que é produzido na cidade de mesmo nome que fica na França, os demais são denominados espumantes.

Provavelmente você já deve ter parado em uma adega, ou na parte de bebidas do supermercado e lido alguns rótulos de vinhos ou espumantes e observou que existem determinadas “categorias” e é sobre elas que este post vai falar, obviamente de uma forma bem simplificada, para que você entenda as diferenças entre brut, demi-sec, etc.

espumante-2

Brut – ele possui até 15 gramas de açúcar por litro, inclusive é um dos mais vendidos aqui no Brasil, podemos citar como exemplo o da marca Mumm, que vem da Argentina e tem um preço médio de 50 reais e também o famoso Chandon, que custa em média 60 reais.

Extra brut – este possui menos de 6 gramas de açúcar por litro. Como sugestão você pode procurar o Peterlongo Presence que custa uma média de 58 reais.

Demi-sec – um pouco mais adocicado, tem cerca de 20 a 60 gramas de açúcar por litro. Como indicação temos o Casa Valduga Gran Reserva, na faixa de 125 reais.

Sec – contém de 15 a 20 gramas de açúcar por litro. Você pode procurar pelo Salton Classic Sec, que tem o preço bem acessível, na faixa de 20 reais.

Doce – quantidade de açúcar superior a 60 gramas, o moscatel também entra nesta categoria. Um exemplo é o brasileiro Aurora Moscatel, com preço na faixa de 40 reais e que inclusive foi indicado na lista dos 100 melhores.

Basicamente as diferenças entre cada um dos espumantes é o teor de açúcar que cada um tem, ou seja, adeque seu paladar de acordo com o quão doce você gosta de uma bebida.

Por fim, a temperatura adequada para servir um espumante deve ser seguida de acordo com o teor de açúcar: entre 5º e 6º graus para os mais doces e os demais entre 8º e 10º.

Plugin creado por AcIDc00L: key giveaway
Plugin Modo Mantenimiento patrocinado por: posicionamiento web
Episódios de Hoje